A matemática a serviço das pesquisas eleitorais



alt text

A matemática a serviço das pesquisas eleitorais, a Matemática contribui nas eleições por meio das pesquisas através de probabilidades. Matematicamente podemos obter uma margem de probabilidade mais próxima de qual candidato irá para o segundo turno, e qual candidato pode ganhar as eleições no segundo turno.

No Brasil é usado o “método de Condorcet”, Condorcet (1743-1794), matemático, filósofo e político francês que observou o fenômeno pela primeira vez. Há exemplos recentes, em diversos países.

O marquês propôs um sistema de votação, chamado “método de Condorcet”, para corrigir esse efeito. Essencialmente, consiste em comparar cada candidato com cada um dos outros, separadamente, sendo eleito aquele que vença todos esses “duelos”.

O Datafolha divulgou nesta quinta-feira (20) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 8.601 eleitores na terça-feira (18) e na quarta-feira (19).
O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.
Os resultados foram os seguintes:
“Em uma votação com 3 candidatos –X, Y e –Z e 100 votantes. Quarenta eleitores preferem o candidato X, seguido de Y e depois Z; 35 escolhem Y, têm Z como segunda opção e X como última; para 25, Z é o favorito, seguido de Y e de X. Numa votação uninominal — em que cada eleitor vota em um só candidato— X ganha, embora uma maioria de 60% o considere o pior dos três”. Explica Marcelo Viana
Datafolha – 20 de setembro – evolução da intenção de voto para presidente
Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na sexta-feira (14):

Jair Bolsonaro foi de 26% para 28%;
Haddad passou de 13% para 16%;
Ciro se manteve em 13%;
(Haddad e Ciro estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro)
Alckmin se manteve com 9%;
(Alckmin e Ciro estão tecnicamente empatados no limite da margem de erro)
Marina foi de 8% para 7%.
(Marina e Alckmin estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro)
Rejeição
O Instituto também perguntou: “Em quais desses candidatos… você não votaria de jeito nenhum no primeiro turno da eleição para presidente deste ano?”
Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.
Os resultados foram:
  • Bolsonaro: 43%
  • Marina: 32%
  • Haddad: 29%
  • Alckmin: 24%
  • Ciro: 22%
  • Vera: 19%
  • Cabo Daciolo: 19%
  • Boulos: 18%
  • Eymael: 17%
  • Meirelles: 17%
  • João Goulart Filho: 15%
  • Alvaro Dias: 15%
  • Amoêdo: 15%
  • Rejeita todos/não votaria em nenhum: 4%
  • Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 2%
  • Não sabe: 5%
“A votação em dois turnos, com o duelo no segundo, é um passo nessa direção.
Outro sistema de votação foi proposto por um contemporâneo de Condorcet, o cavaleiro Jean-Charles de Borda (1733-1799), matemático e navegador francês. Nele, cada eleitor dá pontos aos candidatos. Um ponto ao último, 2 ao penúltimo e assim por diante. Ganha o candidato que somar mais pontos. Este método já foi usado no Senado da República de Roma”, Diz Marcelo Viana.

Segundo Marcelo Viana, no exemplo, Z ganha 40 vezes 1 ponto mais 35 vezes 2 pontos mais 25 vezes 3 pontos (185 pontos no total). Já Y ganha 235 pontos, e leva a eleição. X ficaria com 180 pontos, o último lugar –e não o primeiro.
Embora concordassem que esse método é mais prático, Condorcet e Borda debateram sobre qual reflete melhor a vontade dos eleitores (a matemática do século 20 acabou dando alguma razão a Borda).

O método de Borda é usado em situações diversas, como eleições parlamentares de alguns pequenos países, o Festival Eurovisão da Canção e até nas votações da comissão de atividades científicas do Impa.
Mais importante, o trabalho de Condorcet e Borda esteve na origem de importantes avanços da matemática no domínio das ciências sociais, com destaque para o famoso teorema da impossibilidade de Arrow.






Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o Autor

Valdivino Sousa é Contador, Matemático, Pedagogo, Psicanalista, Bacharel em Direito, Escritor e Mestrado em Ciências da Educação Matemática. Criador do método X Y Z que facilita na aprendizagem de equação e expressão algébrica com objetos ilustrativos. Docente nos cursos de Matemática, Ciências Contábeis, Administração e Engenharia. Autor de mais de 10 (dez) livros e têm vários artigos publicados em revistas e jornais especializados. Blogueiro Mtb 60.448, Consultor e Estrategista de Mídias Digitais. Semanalmente escreve para o portal D.Dez, Jornal da Cidade e Folha Online. Sobre: Comportamento, Educação Matemática e Desenvolvimento da Aprendizagem. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Equações Diferenciais Parciais, Matemática Computacional e Engenharia Didática, atuando principalmente nos seguintes temas: métodos numéricos, equações diferenciais, modelagem, simulações e didática no ensino de matemática. E-Mail: valdivinosousa.mat@gmail.com ..SAIBA MAIS

Sobre o Blog

O Blog pretende de uma forma simples apresentar como a Matemática está presente em tudo, e como ela está inserida em nosso cotidiano. O objetivo é mostrar para as pessoas, a importância da Matemática em nossa vida, o quanto esta ciência faz parte do dia a dia de todos nós, independente da situação ou momento ela está sempre presente em tudo. SAIBA MAIS

Posts Recentes

Curta nossa Fanpage

Informe seu e-mail e receba novas publicações


Matemática, Estatística e Contabilidade

Clique na imagem e acesse

Segue me no Twiter

Postagens mais Lidas

Chat ao Vivo

Segue me no Instagran

Previsão do Tempo

Arquivo do blog