Bem-Vindo ao site do Matemático Valdivino Sousa

test

Estudo Matemático mostrou que Brasil tinha 83% de chance de vencer o México


  
alt text

Estudo Matemático mostrou que Brasil tinha 83% de chance de vencer o México, e é favorito ao hexa da copa.  No duelo entre Brasil e México, nessa segunda-feira 02 de Julho de 2018, pelas oitavas de final da Copa a seleção de Tite estava em vantagem. Segundo um estudo Matemático desenvolvido pela Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a seleção brasileira tinha 83,3% de chance de vencer a partida e chegar às quartas de final. De acordo com o estudo, a vitória da seleção brasileira sobre o México deveria ser de um ou dois a zero.

O Matemático Valdivino Sousa explica que “O futebol não é, e nunca foi uma ciência exata, e tudo pode acontecer durante um jogo, por exemplo, um jogador pode se machucar, ou ser expulso entre outros aspectos que envolvem numa partida”. 
“Os cálculos de estatísticas e probabilidade nos dão uma boa visão de como pode ocorrer em um determinado jogo, mas até o momento a contribuição da Matemática na copa tem dado certo”, disse Valdivino Sousa. 

A probabilidade destes placares são de 16% cada, seguido por 3 a 0 para o Brasil com 10%, e vitória brasileira por 2 a 1 de 9%. O empate por 1 a 1 que não seria vitória canarinho. Com 65% de chance, o placar de 2 a 0 era o mais provável com vitória Brasileira, isso foi o que aconteceu.

O hexacampeonato também está mais perto, após a eliminação da seleção da Alemanha da Copa do Mundo. Antes do início do torneio, os cálculos mostravam que a seleção brasileira apresentava 21% de chance de ganhar a Copa do Mundo de 2018, agora esse percentual subiu para 25%.

"A seleção francesa aparece em seguida com 12,5% e a espanhola com 11,4%. A Bélgica e a Croácia, que tiverem um bom desempenho, também apresentam boas possibilidades, com 9,8% e 7,7%, respectivamente. Das classificadas para as oitavas de final, o Japão é a seleção que tem a menor perspectiva para o título com 0,2% ", analisa o professor Moacyr Alvim, da FGV.

O modelo matemático da FGV revelou ainda que a França iria ganhar da Argentina. O resultado mais provável era de 1 a 0 (15%) e Uruguai e Portugal deveria empatar em 1 a 1 (13%), no entanto, os portugueses tinham 40% de probabilidade de classificação.

A hipótese de a Bélgica vencer o Japão era grande, com 67%. Os cálculos mostrou que o placar mais previsível era 2 a 0, 2 a 1 e venceu com 3 a 2 (probabilidade de 11%). A Espanha tinha quase a mesma possibilidade de passar pela Rússia, com 64%. O placar mais provável ara de 2 a 1. Por fim, o modelo matemático aponta que a Croácia ganhava da Dinamarca (37%). A Suécia vencia a Suíça (45%) e a Inglaterra seria vitoriosa do confronto com a Colômbia (37%).




Sobre o Autor

Prof. Ms Valdivno Sousa é Contador, Matemático, Pedagogo, Psicanalista, Bacharel em Direito, Escritor e Mestrado em Ciências da Educação Matemática. Criador do método X Y Z que facilita na aprendizagem de equação e expressão algébrica com objetos ilustrativos. Docente nos cursos de Matemática, Ciências Contábeis, Administração e Engenharia. Autor de mais de 10 (dez) livros e têm vários artigos publicados em revistas e jornais especializados. Blogueiro Mtb 60.448, Consultor e Estrategista de Mídias Digitais. Semanalmente escreve para o portal D.Dez, Jornal da Cidade e Folha Online. Sobre: Comportamento, Educação Matemática e Desenvolvimento da Aprendizagem. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Equações Diferenciais Parciais, Matemática Computacional e Engenharia Didática, atuando principalmente nos seguintes temas: métodos numéricos, equações diferenciais, modelagem, simulações e didática no ensino de matemática. Acesse o site: www.matematicosousa.com.br E-Mail: valdivinosousa.mat@gmail.com Whatsap: 11 – 9.9608-3728

Nenhum comentário